DIORMAG

23.05
VIP

Dior em Cannes

No dia 22 de maio, em Cannes, para a estreia do filme “Matthias & Maxime”, de Xavier Dolan, o diretor canadense usou um smoking e uma camisa em organza pretos especialmente elaborados por Kim Jones, Diretor Artístico das coleções masculinas da Maison. Os atores Pier Luc Funk, Antoine Pilon, Gabriel D’Almeida Freitas, Samuel Gauthier e Adib Alkhalidey, assim como a produtora Nancy Grant, também vestiram Dior.

  • Xavier Dolan

  • Nancy Grant

22.05
VIP

O savoir-faire do conjunto de Alta-Costura de Elle Fanning

Para o 72o Festival de Cannes, a atriz Elle Fanning vestiu uma camisa em organza de seda cor cru e uma saia em tule azul noite, com curvas evocando o visual feminino do icônico New Look. Quatrocentas e cinquenta horas de trabalho e mais de cinquenta metros de tule plissado foram necessários para criar esse conjunto de Alta-Costura exclusivo, especialmente realizado pelas mãos habilidosas dos Ateliês Dior.

22.05
VIP

Elle Fanning em Cannes

No dia 21 de maio, em Cannes, no tapete vermelho para a estreia do filme “Era Uma Vez em... Hollywood, de Quentin Tarantino, a atriz e membro do júri Elle Fanning vestiu um conjunto de Alta-Costura assinado por Maria Grazia Chiuri, formado por uma camisa em organza de seda e uma saia plissada em tule. Como uma homenagem ao icônico visual do New Look, um elegante chapéu em ráfia preto, pontuado de macramê com efeito Cannage, sublimou as criações.

Elle Fanning

21.05
VIP

Dior em Cannes

No dia 20 de maio, para a estreia de seu filme “La Belle Epoque” em Cannes, o diretor Nicolas Bedos vestiu Dior. No evento, a atriz Joséphine Japy, assim como os atores François Civil, Jérémie Laheurte, Diego Luna e Gael García Bernal também usaram criações da Maison.

  • Joséphine Japy

  • François Civil

  • Nicolas Bedos

  • Jérémie Laheurte

  • Diego Luna

  • Gael García Bernal

20.05
VIP

O savoir-faire do vestido de Elle Fanning em Cannes

Expressão do encontro entre culturas, o wax, destaque do desfile Croisière 2020 apresentado em Marrakech, foi reinterpretado por Maria Grazia Chiuri nesse vestido tomara que caia em seda estampada “Chaîne Sauvage”. Uma peça excepcional, inspirada em motivos especialmente criados pela empresa Uniwax e apresentada em um tecido emblemático dos anos 1950, como uma homenagem ao savoir-faire de Alta-Costura exclusivo da Dior.

Mais artigos